• 19 de julho de 2019

Sucessão 2020; Senador confirma conversa com França e cobra mais articulação do pres., do DEM

Temos um quadro rico e entendo que o DEM precisa se movimentar urgentemente em Cuiabá, através do Diretório Regional, para trazer novas figuras, como o próprio ex-prefeito Roberto França”, disse o senador Jaime Campos (DEM), que participou durante toda a manhã desta sexta-feira (12), do evento “Conferência Visão 2030, Mato Grosso Desenvolvido”, realizado na Assembleia Legislativa.

“Não sei se o DEM caminha para candidatura própria em Cuiabá. Essa informação não sou a pessoa mais certa para responder. O partido tem interesse em ter candidato próprio. Entretanto esse é um assunto que tem que ser discutido no momento oportuno. Nós temos um quadro rico e eu acho que o partido tem que se movimentar urgentemente, através do diretório regional, para trazer novas figuras, como o próprio Roberto França, que já manifestou a possibilidade de se filiar ao Democratas e se possível, ser o candidato a prefeito”, disse Campos.

Jaime Campos adiantou que já fez uma conversa preliminar com o ex-prefeito. “Conversei particularmente com ele (Roberto). Ele Me falou da possibilidade de disputar e que primeiro iria se filiar. Você não discute política se não está sequer filiado. Ele ia ter uma conversa posterior a que teve comigo com o governador Mauro Mendes. Ia fazer essa sondagem. Ele tem essa disposição e ninguém pode desconhecer o potencial do Roberto França”, argumentou o senador democrata.

Conforme Jaime Campos, o ex-prefeito é um forte candidato. “Foi um grande prefeito, um bom deputado federal, enfim, uma pessoa extremamente preparada. Me sinto em casa com o Roberto França. [Nos] criamos juntos, é uma pessoa extremamente correta, reta, não mente e preparado para ser prefeito de Cuiabá. Agora ele vai fazer as conversações e entendimentos neste sentido e no momento certo vai se filiar”.

O senador disse que o DEM tem outros nomes, e citou o do ex-deputado federal e suplente de senador, Fábio Garcia, o secretário de Saúde do Estado, Gilberto Figueiredo e o do chefe da Casa Civil do governo de Mato Grosso, Mauro Carvalho. “Agora nós temos que fazer algumas ações, a preparação, dentro do possível. Temos que ter as candidaturas a vereador. Se não tiver vereador, que é o grande puxador de votos, fica difícil. Temos que traçar urgentemente uma estratégia, até por conta do prazo”.

FOTO REPRODUÇÃO

Rufando Bombo

Matéria anterior

Balanço; Operação Lei Seca prende 126 pessoas durante o semestre em MT

Próxima matéria

Bolsonaro extrai dente e médicos recomendam que ele evite falar por três dias

Faça um comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *