• 8 de abril de 2020

Por determinação judicial prefeitura vai disponibilizar 1/3 da frota de ônibus para atender os profissionais da área da saúde

A Prefeitura de Cuiabá emitiu nota na manhã deste domingo (22) afirmando que vai acatar a decisão judicial, emitida pelo juiz Onivaldo Budny do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso (TJMT), que determina que o transporte coletivo circule na capital para atendimento dos profissionais de saúde. 

Na última sexta-feira (20), o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) havia assinado um decreto em que determinava, entre outras medidas, a suspensão completa do transporte coletivo a partir desta segunda-feira (23)

A determinação judicial, que foi motivada pela ação do Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de Mato Grosso (SINDESSMAT), define a manutenção de 1/3 da frota de ônibus municipal para transporte exclusivo de profissionais da saúde (pública ou privada), mediante prévia identificação com carteira profissional.

Em nota, a Prefeitura afirma que vai cumprir a determinação judicial, mas não se furtará a adoção de medidas de impacto visando o bem coletivo.  “(…) O momento é de tensão, de insegurança. Vivemos uma pandemia, um momento  que exigiu medidas drásticas para proteger você e sua família. O gestor não pode ser omisso  e eu jamais seria quando está em jogo a vida de pessoas. Temos de tomar medidas urgentes, rápidas, preventivas e em grande escala para evitar a propagação em Cuiabá”, afirma Pinheiro. 

A nota ressalta os cuidados que serão tomados dentro dos ônibus para diminuir a possibilidade de contágio. Entre as medidas s estão: capacidade máxima de passageiros limitada em 50% (cinquenta por cento), esterilização diária nos veículos e disponibilização de álcool em gel para os usuários. 

Rufando Bombo

Matéria anterior

Efeito Coronavirus; Caixa suspende sorteio de loterias por três meses

Próxima matéria

Prefeitura de Chapada determina o fechamento de bares e da rodoviária

Faça um comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *