Politica

“Essa transformação que a gente ouve, pra mim não colou. Essa transformação foi o maior estelionato” diz Jayme Campos

Leonardo Heitor/ Do Folha Max

Uma das poucas lideranças do Democratas que ainda não havia se manifestado de forma contundente contra o governador Pedro Taques (PSDB), o ex-senador Jayme Campos (DEM) adotou o discurso oposicionista durante encontro da legenda neste sábado em São José dos Quatro Marcos. Com isso, o projeto da sigla de ter candidatura própria está praticamente definido: o ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, deve sair candidato ao Governo do Estado, tendo Jayme como um dos candidatos ao Senado. A segunda vaga deverá sair de um partido aliado.

Jayme, que vinha relutando em fazer críticas públicas e até mantendo conversas com Taques, subiu o tom ao dizer que a atual gestão não realizou as transformações que vem pregando. Sem papas na língua, o ex-senador acusou o atual Governo de “fraude e estelionato” com a população de Mato Grosso. “Essa transformação que a gente ouve, pra mim não colou. Essa transformação foi o maior estelionato, fraude que nós tivemos nestes últimos anos aqui em Mato Grosso”, assinalou.

O líder democrata colocou que é mais um que se decepcionou com a gestão Taques. Para ele, o tucano tinha condições de “entregar resultados” para a sociedade. “Não vim aqui para criticar ninguém, mas posso dizer que a decepção foi grande. Eu votei, trabalhei, assim como Mauro, Fabinho, e vários aqui votaram e trabalharam. E o resultado foi muito pouco. Mato Grosso arrecada R$ 2 bilhões por mês, é o Estado que mais cresce sua receita. Por isso, pergunto para vossas excelências, aonde está indo esse dinheiro”, questionou.

O próprio ex-senador completou e citou que não há “capacidade de gestão” na atual administração estadual, numa crítica a equipe de secretários escolhida por Taques. “Imagino que o gato não comeu o dinheiro. Está faltando gestão. A gestão depende da capacidade administrativa. O cidadão que nunca tocou um carrinho de pipoca, ou um carrinho de cachorro quente, não tem capacidade de gestão pública. Eu provo isso porque tenho acompanhado a evolução do Estado”, assinalou.

Jayme citou a situação crítica da saúde pública. Como exemplo, apontou a visita que fez na região Oeste durante este final de semana. “Fui no Hospital Regional de Cáceres hoje, que mais parece um campo de guerra. Pior que os hospitais lá do Iraque. Nós temos que valorizar o ser humano, atender ele mais de perto. É vergonhoso, é humilhante. Nesse Estado, paga-se imposto e o retorno é quase nada em favor da população”, observou.

ENQUADRADA

No discurso, o ex-senador fez um apelo para o ex-prefeito Mauro Mendes, que ainda não assumiu a postura de pré-candidato ao Governo, para que lidere este projeto que o DEM pretende apresentar a sociedade. “Depende exclusivamente do doutor Mauro Mendes. Espero que ele não largue nós como filho de passarinho perdido”, disse, arrancando risos da plateia e do próprio Mauro Mendes.

Porém, ele demonstrou extrema confiança de que o ex-prefeito saia candidato ao Palácio Paiaguas. “Já disse para o Mauro: não tem marcha ré. Seu carro quebrou marcha ré, daqui pra frente é 1ª, 2ª 3ª e 4ª. Essa é a nossa esperança, de que o Mauro toque oo carro pra frente e não olhe para o retrovisor. Porque tem muitos que assustam quando olham para o retrovisor”, assinalou.

Para os correligionários da região Oeste, Jayme pediu para acreditarem e levarem as propostas do DEM a população. “É um projeto de gente séria. Que não vê ninguém engambelar, não é conversa de bêbado ou drogado. É conversa de propostas, que possam devolver a autoestima da população de Mato Grosso”

Mostrar +

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close