Politica

Em cinco minutos “Eles” armaram para desviar R$ 1,54 milhão Câmara de Cuiabá

O ex-deputado estadual Maksuês Leite prestou depoimento,  na tarde desta quarta-feira (15),  à juíza Selma Rosane de Arruda, na Sétima Vara Criminal, onde relatou como ele e o ex-presidente da Câmara de Cuiabá, João Emanuel deram início ao esquema de fraudes em licitações.

Ele disse que o esquema de desvio da Câmara foi firmado entre eles, em cinco minutos, na esquina da clínica Femina, em Cuiabá.

João Emanuel teria ligado para ele, Maksuês, quando a enteada estava sendo tratada na clínica.

As investigações da Operação Aprendiz, deflagarada em 2013, pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), apontam que a lavagem de dinheiro teria sido feita a partir do desvio de R$ 1,54 milhão Câmara de Vereadores de Cuiabá, quando a casa era presidida por João Emanuel.

Segundo ele, o esquema já tinha sido acertado com Júlio Pinheiro – ex-presidente da Câmara, falecido em 2016 –  anteriormente, mas nunca tinha sido concretizado.

Em janeiro de 2013, quando Emanuel assumiu a presidência da Câmara, eles firmaram o acordo, nos mesmos moldes que era feito na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, com o então presidente José Riva sogro na época de João Emanuel.

No acordo, 75% do dinheiro iria para a presidência da Câmara e 25% para gráfica Probel, uma empresa de fachada de propriedade de Maksuês Leite.

Neste processo, pelo crime de desvio, já foram condenados, em ação separada, o ex-presidente do Legislativo municipal João Emanuel Moreira Lima e Gleisy Ferreira de Souza, da Propel Comércio de Materiais Ltda, além do próprio Maksuês Leite, por também participar das fraudes em compras de materiais gráficos pela Câmara.

Do repórterMT

Mostrar +

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close