Politica

Efeito Impeachment : PT cita apoio ao “golpe” contra Dilma e nega apoio a WS ou Emanuel

DO MIDIANEWS/ AIRTON MARQUES

O diretório municipal do Partido dos Trabalhadores decidiu não apoiar nenhum dos candidatos à Prefeitura neste segundo turno na Capital.

 

A sigla, que no primeiro turno indicou a candidata à vice na chapa do ex-juiz federal Julier Sebastião (PDT) – Jusci Ribeiro -, ressaltou que os partidos de Emanuel Pinheiro e Wilson Santos apoiaram o que eles chamam de “golpe” no processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

 

“O Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores de Cuiabá decidiu não apoiar nenhum dos candidatos e liberar a militância, filiados e filiadas, para exercerem seus votos de acordo com suas consciências”, afirmou o diretório, por meio de resolução enviada a seus filiados.

 

Decidiu não apoiar nenhum dos candidatos e liberar a militância, filiados e filiadas, para exercerem seus votos de acordo com suas consciências

Mesmo não orientando diretamente o voto “nulo” ou “branco”, o PT declarou que tal posicionamento é “um legítimo direito de resistência frente ao golpe, suas representações e o resultado eleitoral conservador advindo deste processo”.

 

O diretório declarou ainda que seguirá denunciando o “vergonhoso golpe de 2016, bem como mobilizando os trabalhadores e segmentos democráticos de nossa cidade a resistir à regressão de direitos, visando a retomada do protagonismo popular”.

 

Além disso, na resolução, o PT afirmou que as candidaturas de Wilson e Emanuel representam o mesmo grupo político.

 

“Os dois candidatos já governaram juntos Cuiabá em 2005 e participam dos grupos que administram a cidade há 20 anos. Na atual eleição as duas candidaturas apresentam o mesmo programa de má gestão e exclusão, vivenciado nos últimos anos pela população da Capital”, declarou.

 

“Os dois grupos políticos que disputam este segundo turno estão alinhados no apoio ao governo golpista de Temer, que tem promovido uma pauta de intensos ataques aos direitos sociais e trabalhistas, duramente conquistados pelo povo brasileiro”, completou.

 

Leia a íntegra da resolução do PT:

 

“RESOLUÇÃO DO PARTIDO DOS TRABALHADORES SOBRE O SEGUNDO TURNO DAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS EM CUIABÁ.

 

O Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores de Cuiabá, em reunião ampliada nesta sexta-feira (07.10), para avaliar a eleição municipal de 2016 e deliberar sobre a posição do partido em relação ao segundo turno em Cuiabá, faz as seguintes ponderações.

 

– Considerando a participação do PT no bloco de esquerda composto pelo PCdoB e PDT, que sustentou no Primeiro Turno a candidatura de Julier Sebastião da Silva (PDT) a prefeito e Jusci Ribeiro (PT) a vice.

 

– Considerando a chegada no segundo turno dos candidatos Emanuel Pinheiro (PMDB) e Wilson Santos (PSDB), cujos partidos lideraram o golpe de Estado contra o mandato constitucional da presidenta eleita Dilma Rousseff (PT).

 

– Considerando que os dois candidatos já governaram juntos Cuiabá em 2005 e participam dos grupos que administram a cidade há 20 anos. (Na atual eleição as duas candidaturas apresentam o mesmo programa de má gestão e exclusão, vivenciado nos últimos anos pela população da Capital).

 

– Considerando que os agrupamentos políticos e econômicos que sustentam as candidaturas do PMDB e do PSDB articularam e apoiaram o golpe contra a presidenta.

 

– Considerando que os dois grupos políticos que disputam este segundo turno estão alinhados no apoio ao governo golpista de Temer, que tem promovido uma pauta de intensos ataques aos direitos sociais e trabalhistas, duramente conquistados pelo povo brasileiro.

 

– Considerando a necessidade de reconstrução do Projeto Democrático e Popular, fortalecendo à unidade dos partidos de esquerda, visando as disputas de projeto na sociedade Cuiabana e, principalmente, a reconquista da confiança da maioria do povo.

 

– Considerando a necessidade de fortalecermos nossos laços históricos com a classe trabalhadora, com uma intensa mobilização que barre os retrocessos promovidos pelos golpistas e que seja capaz de retomar num futuro próximo a agenda do desenvolvimento com justiça social.

 

O Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores de Cuiabá decidiu não apoiar nenhum dos candidatos e liberar a militância, filiados e filiadas, para exercerem seus votos de acordo com suas consciências. O PT ressalta, porém, ter a compreensão que a abstenção e os votos não válidos são um legítimo direito de resistência frente ao golpe, suas representações e o resultado eleitoral conservador advindo deste processo.

 

Com tal posicionamento, seguiremos denunciando o vergonhoso golpe de 2016, bem como mobilizando os trabalhadores e segmentos democráticos de nossa cidade a resistir à regressão de direitos, visando a retomada do protagonismo popular.

 

Cuiabá, 07 de outubro de 2016.

 

Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores de Cuiabá.”

Tags
Mostrar +

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close