Politica

Durante coletiva Luiz Soares dispara, afirma que denunciará juiz ao CNJ e desabafa: “constrangimento ilegal”

“Neste primeiro momento, quero pedir desculpas ao povo do Sistema Único de Saúde (SUS) do Estado de Mato Grosso. Mais especificamente a minha família, que está apreensiva e acompanha desde cedo, desnecessariamente, este constrangimento ilegal. Quero dizer a todos da minha tristeza e convicção de não buscar a reparação por danos, porque não vai sair do bolso do magistrado. Não tenho dúvida e já solicitei isto à Procuradoria Geral do Estado (PGE), que cabe uma denúncia formal da minha parte ao CNJ por conta da ilegalidade e falta de motivo da minha prisão”, disse o secretário.

O procurador geral do Estado, Rogério Galo, comentou que o desembargador plantonista, Paulo da Cunha, determinou o relaxamento da prisão, após reconhecer que não cabe prisão em flagrante por crime de desobediência, que tem como pena máxima seis meses: “A decisão de prisão era ilegal e o alvará de soltura foi cumprido há pouco tempo”.

Em nome do governador Pedro Taques (PSDB), o secretário de Comunicação, Kleber Lima, disse que “desde quando tomamos conhecimento da noticia da prisão, o governador manteve contatos permanentes conosco e hipotecou total apoio e solidariedade ao secretário e acompanha os desdobramentos da soltura. Como a situação estava totalmente sob controle, decidimos por recomendar que ele continuasse no interior, cumprindo a agenda”.

Ainda durante a coletiva, o secretário afirmou que continuará acreditando no SUS e que é defensor do sistema há tempos. Além disto, assegurou que nenhuma outra atividade pública o interessa e lembrou que trabalhou com a Saúde na gestão da prefeita Lucimar Sacre Campos (DEM) e também por duas vezes na prefeitura de Cuiabá, nas gestões de Wilson Santos (PSDB) e Roberto França.

Mostrar +

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close