Politica

Denúncia grave; Ex-chefe denuncia vereador de Cuiabá ao MPE por usar verba indenizatória em benefício próprio

O ex-chefe de gabinete do vereador de Cuiabá, Felipe Wellaton (PV), denunciou ao Ministério Público Eleitoral (MPE) que devolveu a verba indenizatória (VI) da qual ocupantes do cargo possuem direito de receber além do salário, no valor de R$ 4,2 mil ao mês, ao próprio membro da Câmara Municipal de Cuiabá. Jadson Nazário de Freitas exerceu a função apenas em janeiro de 2017, quando recebeu salário de R$ 7 mil mais VI de R$ 4,2 mil.

Porém, o benefício foi concedido, e repassado, pelo menos até maio daquele ano. De acordo com a denúncia, protocolada em 9 de maio, Jadson Nazário de Freitas foi coordenador da campanha vitoriosa de Wellaton em 2016, quando obteve 3.054 votos.

Após a disputa ele prometeu e cumpriu nomeá-lo ao cargo de chefe de seu gabinete, o que de fato ocorreu, em janeiro de 2017. O vereador, porém, permitiu que Jadson ficasse apenas com seu salário de R$ 6 mil e que devolvesse os R$ 4 mil referente a VI. “O vereador Felipe Tanahashi Wellaton aproveitou do cargo que ocupa para se apropriar de parte do salário (VI) de seu assessor e de outros funcionários contratados para seu gabinete”, diz trecho da denúncia que está sob análise o promotor Sérgio Silva, que já determinou abertura de inquérito.

Após o primeiro mês atuando como chefe de gabinete, Jadson relata que Wellaton também começou a exigir que ele repassasse parte do salário. “O parlamentar além de exigir o repasse de certa quantia do salário do assessor, exigia que o mesmo repassasse integralmente o VI e até mesmo que efetuasse alguns pagamentos de determinadas despesas pessoais em nome do parlamentar”, narra Jadson.

De acordo com informações de uma reportagem do RD News, Wellaton teria reduzido pela metade o salário de Jadson já fevereiro de 2017, quando passou a receber R$ 3 mil por mês. Após uma discussão com o vereador, já em março, ele teria perdido o cargo, sendo nomeado como assessor parlamentar, com salário de R$ 4 mil.

Além de dedvolver dinheiro a Wellaton, Jadson fez pagamentos de despesas pessoais. Ele afirmou que chegou a comprar peças parar arrumar o motor fundido de uma caminhonete do vereador. Também revelou a transferência de dinheiro para Jeferson Luiz Junglaus, que era o executor de uma obra no parque das Águas, onde Wellaton é dono do Açaí das Águas.

Parte de seus vencimentos também foram “cortados” nos dois meses seguinte, quando chegou a receber R$ 2 mil. Durante este período, entre os meses de janeiro e maio de 2017, a VI continuou a ser depositada em sua conta.

De acordo com pesquisas no Diário Oficial de Contas, e no Portal Transparência da Câmara de Cuiabá, Jadson Nazário de Freitas foi exonerado do cargo em outubro de 2017, voltou ao órgão como assessor parlamentar em janeiro de 2018, sendo novamente exonerado dois meses depois, em março deste ano.

No fim de maio de 2018, uma conversa entre os suplentes do PV, Jamilson Moura e Sidney Souza, vazou nas redes sociais. No diálogo, os colegas de partido de Felipe Wellaton se queixavam de que o vereador exigia o “retorno” da verba indenizatória para se licenciar do cargo possibilitando, assim, que ambos pudessem ser empossados na Câmara de Cuiabá.

Do Folha Max / foto reprodução

Mostrar +

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close