Politica

Câmara vai gastar R$ 92,5 mil por um ano com salgadinhos e refrigerantes

WELINGTON SABINO
Gazeta Digital

O presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, Misael Galvão (PSB), homologou o resultado um pregão para contratação de empresas que vão fornecer alimentos e bebidas aos parlamentares, ao custo de R$ 92,5 mil por um ano.

Duas empresas sagraram-se vencedoras: Flor de Maio Comércio Varejista de Produtos Alimentícios (R$ 15,7 mil) e Vanessa Souza Sobrinho Eireli ME (R$ 76,8 mil) para atender os eventos oficiais promovidos pelo Legislativo Municipal.

Dentre os itens do cardápio estão salgadinhos para festa de recheios variados fritos e assados e sanduíches naturais. Uma das vencedoras deverá fornecer 50 mil salgadinhos ao longo de 12 meses, o que dará um total de R$ 21,5 mil.

Para àqueles parlamentares que preferem um lanchinho mais saudável, tem a opção de salada de fruta contendo, no mínimo, maçã, mamão, banana, com caldo de suco de laranja e pronta para o consumo.

Serão fornecidas ainda 3 mil unidades de pão de queijo, ao custo unitário de 50 centavos, totalizando R$ 3 mil. Com misto frio, lanche composto por pão de forma e fatias de presunto e queijo, serão 3 mil unidades que custarão R$ 4 cada um, somando R$ 12 mil.

Na parte de bebidas serão fornecidos sucos de diversos sabores, água mineral, leite longa vida, achocolatado em pó, refrigerante e gelo em cubos. Nesse quesito, vale destacar que uma das empresas vai fornecer 100 unidades de refrigerante do tipo coca zero, acondicionado em garrafas de 2 litros ao custo unitário de R$ 9,20, totalizando R$ 920.

O valor está acima do preço praticado nos principais supermercados de Cuiabá onde é possível comprar uma garrafa de coca-cola por uma média de R$ 7.

Conforme o resultado do pregão publicado no Diário Oficial do Tribunal de Contas do Estado (TCE), o serviço de buffet do tipo almoço composto por 2 tipos de prato quente com direito a carne bovina e frango, além de acompanhamentos, restou fracassado.

Legislativo fala em economia de 45%

Sobre a licitação, a Câmara de Cuiabá publicou matéria no site da instituição no dia 8 deste mês destacando que com a licitação na modalidade pregão presencial, houve uma economia de 45% do valor previsto inicialmente.

Justificou que tal economia se deve ao fato de a Casa ter aderido à orientação do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso, tomando como base o Sistema Radar, pela realização do pregão presencial por item. O coordenador de Licitações e Contratos da Câmara de Cuiabá, Marcelo Neves, ressaltou, no entanto, que o registro de preço não é contrato, sendo que a Câmara não é obrigada a gastar o valor cotado.

camara-buffet.jpg
Mostrar +

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close