• 20 de julho de 2019

Mais do que um shopping, uma família popular/Por Misael Galvão

Em 21 de abril de 1995 nascia a Associação dos Camelôs do Shopping Popular, carregada de muitas histórias de luta e conquistas. Este dia foi o início de uma trajetória de sucesso. O ponto de partida da união e persistência do que seria uma grande família: a “família popular”.
Foi neste dia que, há 24 anos, teve origem o que seria hoje o nosso Shopping Popular de Cuiabá. Há quem o conheça por “Camelódromo”. Outros, como “Paraguaizinho”. Para além da sua nomenclatura, ele é um símbolo de como que a união tem o poder de superar qualquer obstáculo.
Se hoje é referência nacional na área de comércio popular e serviços, o Shopping Popular traz em seus pilares muito suor e dedicação de todos os que ajudaram a construir esta trajetória de exemplo ao longo dos anos. Uma trajetória que tenho orgulho em dizer que me dediquei com todo meu coração e fiz parte junto com nossos amigos camelôs.
Era outono em Cuiabá quando aproximadamente 400 camelôs foram retirados à força pela polícia da região central da cidade. Naquela época, eu era um camelô e também um líder de rua – profissão que me fez ter conhecimento sobre as preocupações que existiam entre os comerciantes diante da tentativa da Prefeitura em “organizar” os espaços do centro da Capital.
Apesar das discussões da nossa categoria com os representantes municipais, não houve entendimento e só nos restou sair. Isto nos levou até um novo local, um pequeno espaço afastado ao lado do Ginásio Dom Aquino. Um espaço sem estrutura em que o asfalto era o chão e o céu era nossa cobertura. Tentamos reivindicar um novo lugar, sem êxito. Muitos não acreditaram e foram embora.

Sob uma cobertura de lona, enfrentamos o calor, o frio, as chuvas e tudo o que surgisse em nosso caminho. Por vezes, enchentes foram responsáveis pela perda de nossas mercadorias e barracas

A partir daí, carregamos conosco uma frase que serviu para este sucesso: “se é o único lugar que sobrou para nós, então iríamos transformá-lo no melhor lugar para se viver e trabalhar” – empenhar para fazer dele um grande gerador de empregos, para viver em sociedade comercial e, é claro, despontar como referência de Cuiabá para o Brasil. Uma missão nem um pouco fácil e que exigia muito mais do que vontade. Era preciso estruturar fisicamente o shopping e vencer, até mesmo, o preconceito da sociedade em relação aos ambulantes.

Sob uma cobertura de lona, enfrentamos o calor, o frio, as chuvas e tudo o que surgisse em nosso caminho. Por vezes, enchentes foram responsáveis pela perda de nossas mercadorias e barracas. Teve sofrimento, suor e muita garra. Logo, nós, camelôs, nos unimos e instituímos uma associação que pudesse representar a classe. Assim, tive a honra de disputar e vencer a primeira eleição para presidente em 1995.
Com o tempo, a união fez a força e buscamos a legalização de nossa classe. Alguns marcos possibilitaram que o shopping se tornasse o que ele é hoje. Contudo, um grito de vitória ecoou da garganta dos vendedores ambulantes em 2007 com a aprovação e publicação federal da Medida Provisória nº 380, que criou o Regime de Tributação Unificada (RTU) na importação de mercadorias do Paraguai. Esta conquista beneficiou microempresários optantes pelo programa Simples Nacional.
Outra vitória foi a legalização da categoria. Ela permitiu que muitos camelôs mudassem de vida ao se tornarem empreendedores – com empresas próprias, CNPJ e colaboradores. Tudo isso foi possível graças a uma grande vitória do diálogo com poder público. A Câmara Municipal esteve presente na aprovação da Lei 5.757, que garantiu uma Concessão Onerosa com a prefeitura e um TAC com Ministério Público. Este modelo único está sendo copiado nas grandes cidades do país. Muitos representantes públicos vieram até Cuiabá e levaram nossa experiência.
Nossa história é também pelo social e pela Capital. Nesta Concessão Onerosa, nós tivemos a oportunidade de construir e revitalizar todo o Complexo Poliesportivo Dom Aquino, um marco na saúde e bem-estar da população com 11 modalidade de esporte, e o mini estádio da antiga Prosol no bairro Dom Aquino. Há tempos pela solidariedade, retribuímos para Cuiabá tudo o que recebemos de carinho através de doações de sacolão e brinquedos todos os anos.
Hoje, essa é uma trajetória que gera quatro mil empregos direta e indiretamente em Cuiabá. Hoje, o Shopping Popular se consolidou como referência no mercado nacional e qualquer associado tem orgulho em dizer que faz parte dessa família.
Vida longa ao Shopping Popular, vida longa à família popular.
Nosso passado garantiu o presente e o presente garantirá nosso futuro.
MISAEL GALVÃO é presidente da Câmara Municipal de Cuiabá

Rufando Bombo

Matéria anterior

Melhoria na Infraestrutura ; Municípios de MT terão pontes e estradas contempladas com 114 ordens de serviço autorizadas pelo Governo

Próxima matéria

Ai só Jesus na causa… Jumentinho usado na encenação da ‘Paixão de Cristo’ é roubado em MT

Faça um comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *