• 14 de novembro de 2019

Deputados pedem vistas e adiam votação de empréstimo com o Banco Mundial

O próprio líder do Governo do Estado na Assembleia Legislativa, deputado Dilmar Dal’Bosco (DEM), pediu vistas e adiou por 24h a apreciação da mensagem do Executivo que pede autorização do Legislativo para contração de empréstimo de US$ 250 milhões com o Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento (Bird). A ideia é “trocar” a dívida com o Bank of America por outra com prazo muito maior e economizar pouco mais de R$ 760 milhões em quatro anos para estabilizar o caixa do Estado.

Mas se estava nos planos do democrata devolver o projeto antes do prazo máximo estipulado para garantir a votação, a antecipação não poderá ser feita porque o deputado estadual Valdir Barranco (PT), da oposição, também pediu mais tempo para analisar a mensagem e o presidente Eduardo Botelho (DEM) concedeu vistas compartilhadas. O texto deverá ser devolvido na sessão de quinta-feira (28) e já deve entrar em primeira votação, porque tramita em regime de urgência.

O deputado Valdir Barranco afirmou que é preciso tempo para se discutir o projeto com mais segmentos da sociedade. “Embora nós também reconheçamos a importância do tema, mas exatamente pela importância nós não queremos atropelo num processo como esse. É um empréstimo que vai não só se ater a essa geração, a nossa geração, mas as próximas gerações”, argumenta Barranco.

A “troca” da dívida atual com o Bank of America pela com o Bird estende por 20 anos o prazo para pagamento. “O presidente Botelho vai ter 80 anos e vai estar ainda o Estado pagando, então por isso esse pedido de vista. Eu tenho defendido que é um assunto que precisa ser longamente debatido, trazer para cá os especialistas, professores de economia da Universidade Federal para que nós possamos ouvir. Nós não podemos ouvir só Rogério Gallo, que é representante do governo. A sociedade é múltipla, e não é composta só por um tipo de pensamento”, completou Barranco.

O governo tem pressa na aprovação desta matéria, que tramita em regime de urgência. Além de ser aprovado no Legislativo, o empréstimo precisa do aval da Secretaria do Tesouro Nacional, do Senado Federal e ainda passa pela Presidência da República. O governo precisa viabilizar todo esse tramite a ponto de finalizar o empréstimo e já estar com o dinheiro do Bird nas mãos até 10 de setembro, data em que vence a próxima parcela com o Bank of America.

FONTE OLHARDIRETO ERIKA OLIVEIRA

Rufando Bombo

Matéria anterior

Secretario de trânsito Antenor Figueiredo esclarece todos os detalhes da Lei que regulamenta os Aplicativos, veja

Próxima matéria

Uma missão para todos nós/Por Gustavo Guimarães

Faça um comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *