Delação de ex-secretário culminou com afastamento de Emanuel Pinheiro

Da redação Igor Moreno

O ex-secretário de saúde Huark Douglas assinou um acordo de não persecussão cível com o MP. Na “delação premiada”, Huark deixou de responder por ações de improbidade admnistrativa em troca de informações e provas da existência de fraudes.

As fraudes consistem em contratações irregulares de diversos servidores para o antigo pronto-socorro da capital. De acordo com Huark, o prefeito admitiu para ele os objetivos políticos das contratações, que ultrapassavam a necessidade da secretaria.

As declarações do ex-secretário levaram as ações da operação Capistrum, que afastou o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) do cargo, bem como a primeira dama, o seu chefe de gabinete, o ex-coordenador de gestão de pessoas e a secretária adjunta de governo e assuntos estratégicos. O ex-chefe de gabinete do prefeito está em detenção provisória por 5 dias.

Em nota, Emanuel Pinheiro disse que irá se manifestar posteriormente, mas já adiantou que recebeu o afastamento com surpresa.

Rufando Bombo

Matéria anterior

Emanuel Pinheiro agradece a lealdade de Stopa, veja o vídeo

Próxima matéria

Pivetta volta a assumir o Governo por três dias neste domingo

[gs-fb-comments]