Cotidiano

Legado largados; COTs da Copa em Cuiabá estão abandonados

Tvca

Os Centros Oficiais de Treinamento (COT) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em Cuiabá, e do Pari, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, que deveriam ter sido entregues na Copa do Mundo de 2014, estão com as obras paradas e em situação de abandono.

No COT do Pari, foram gastos R$ 21 milhões dos R$ 31 milhões previstos. De acordo com as contas do governo do estado, o prejuízo foi de R$ 6 milhões. Apenas 69,2% dos serviços foram executados.

De um lado, o governo afirma que a empresa contratada para executar a obra deveria fazer a manutenção no local e, de outro, a empresa alega que a culpa do abandono é do governo que mandou suspender as obras.

As obras não foram entregues na data do Mundial e os jogadores das seleções que treinariam no local desceram do ônibus direto para o gramado, pois os vestiários também não estavam prontos. Quatro anos depois, ainda não há vestiários.

O terreno foi doado por um morador. A filha desse morador, Milena Corrêa Ramos, contou que na época o governo procurava um local que fosse próximo à Arena Pantanal. “Procuraram com a intenção de compra, mas, na ocasião, meu pai disse: ‘Em vez de vender, eu vou doar, pois acredito que será um grande legado que ficará para o município’”, afirmou.

Como a obra está abandonada, a família que doou o terreno para a obra pediu à Justiça a devolução do espaço. Mas, segundo o procurador do estado Carlos Perin, o pedido foi feito fora do prazo legal e que, mesmo as obras não concluídas, o espaço já é patrimônio do estado. “No processo, não houve o descumprimento injustificado do estado. Houve uma inadimplência do consórcio e o estado adotou todas as providências para responsabilizar a concessionária e a retomar o contrato, mas não foi possível”, explicou.

Milena discorda do procurador e explica que a família está há um ano aguardando uma decisão judicial. “A população acreditava nessas obras. Até porque era para ter sido construído um centro de treinamento para a Copa, que, posteriormente, viraria um estádio para Várzea Grande”, disse.

Atualmente, a vista do COT para a Arena Pantanal está coberta pelo mato, as paredes estão com rachaduras, as portas, luminárias, refletores, pias e as traves foram furtadas. Nos vestiários, o forro está caído e os móveis, quebrados.

Segundo o secretário-adjunto de Obras da Secretaria Estadual de Cidades, Josemar Araújo Sobrinho, a fiscalização pediu que a secretaria contratasse um perito especial para fazer um laudo da parte de concreto e da parte metálica. “Está sendo feita a licitação com a empresa, caso ela não concorde com os números, vamos rescindir o contrato e realizar uma nova licitação”, pontuou.

As obras do Centro de Treinamento da UFMT também não foram concluídas. O custo inicial era de R$ 15,8 milhões, mas os gastos já ultrapassam R$ 17 milhões e nada da obra ficar pronta. De acordo com o secretário, as empresas contratadas para realizar os serviços estão passando por dificuldades financeiras. “As empresas não têm mais gás para continuar as obras, mas estamos cobrando”, disse.

Até o momento, a reforma dos vestiários, salas de aulas e laboratórios não teve avanço. A obra está com 82% dos trabalhos executados e passa pelo processo de cura do concreto aplicado na pista de atletismo, que deverá ser toda emborrachada.

A empresa responsável por colocar o piso disse que tem problemas no nivelamento do concreto. O COT da UFMT está com 82% dos trabalhos executados.

O prazo para a conclusão do Centro de Treinamentos termina em outubro deste ano.

Foto reprodução

Mostrar +

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close