Cotidiano

Efeito Greve ! Vistoria do Detran tem fila quilométrica

Filas intermináveis no Setor de Vistoria do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/MT) marcam a volta dos servidores ao trabalho nesta segunda-feira (4), após 30 dias de greve.

Nesse período 5,5 mil veículos deixaram de ser vistoriados e essa é a principal queixa dos usuários, que venderam ou compraram carros e não puderam transferir os documentos.

Outro setor com demanda bastante grande neste momento é o de emissão de carteiras de habilitação (CNHs). Em nenhum dos locais de atendimento ao público existe previsão para colocar os serviços em dia.

Só habilitações, o Detran confecciona em média 22 mil ao mês mas em junho foram emitidas apenas 8 mil, segundo informações do diretor de Habilitação, Fernando Martin Lopes.

Para o eletricista, Marcélio Pereira, a greve dos servidores do Detran acaba prejudicando a população. “Dependo do carro para realizar meus serviços, vim várias vezes aqui fazer a transferência do veículo e não consegui. Espero que eles mostrem serviço agora. Porque todo ano os servidores entram de greve e quem paga o ‘pato’ é o cidadão”.

Já a gerente de vendas, Luana Campos reclamou da demora no atendimento. Ela chegou às 7h para fazer exames médicos, para renovar a carteira de habilitação. “A minha carteira já está vencida, mais de um mês e já perdi a conta de quantas vezes vim aqui para renovar. O problema maior é que os policiais quando nos param em blitz não quer saber o motivo de não termos renovado a carteira. Aí começam as multas e isso é uma tremenda falta de respeito conosco”, desabafou.

A fila nos serviços de vistoria, emplacamento e colocação de lacre nos veículos foi o mais procurado nesta manhã e o que causou mais reclamações nos motoristas. O mecânico Raimundo Machado, 46, contou que chegou cedo na fila, aguardando a colocação do lacre na moto. “Já estou esperando há mais de duas horas e meia e ainda tem alguns carros na minha frente. Hoje deveria ter mais gente atendendo, ainda mais que ficaram 30 dias parados. A gente fica esperando no sol, se for pedir informação ninguém dá, isso é um descaso muito grande para conosco”, reclamou.

Saiba mais

Os servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) paralisaram as atividades no dia 31 de maio, quando foi deflagrada a greve geral envolvendo mais de 90 mil funcionários públicos estaduais, que reivindicam o pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) de 11,28%.

No Detran, embora a categoria tenha optado pelo retorno às atividades na autarquia que arrecada, por dia, mais de R$ 1 milhão em taxas e tributos, o Sindicato dos Servidores de Detran (Denatran) esclarece que a nova lei estabelecendo nova RGA, aprovada pela Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador Pedro Taques (PSDB), não atende às necessidades do servidor.

“A luta continua em defesa da RGA de acordo com o determinado na Constituição, inclusive na esfera judicial. Continua também em defesa da nomeação dos aprovados no concurso público, conforme acordo conquistado pela categoria na greve de outubro de 2015”, pontua a presidente do Sinetran, Daiane Renner.

No lugar dos 11,28% previstos na Constituição, a nova RGA será de 7,36% pagos em 3 parcelas de 2% em setembro (calculado sobre o subsídio de maio de 2016), 2,68% em janeiro de 2017 (calculado sobre setembro de 2016) e 2,68% em abril de 2017 (com base no subsídio de janeiro de 2017).

do GAZETADIGITAL

 

Tags
Mostrar +

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close