• 2 de abril de 2020

Bafão: lançamento do primeiro Hospital Veterinário de Cuiabá é cancelado após dono do terreno aparecer na solenidade

O empresário Luiz Alberto Gebrim interrompeu a cerimônia de lançamento do primeiro Hospital Veterinário Municipal, na manhã desta segunda-feira (17), alegando ser o proprietário do terreno que a Prefeitura de Cuiabá pretende utilizar para construir o prédio. Diante da confusão, o evento foi cancelado. 

Com documentos em mãos, Luiz acusou a prefeitura de apropriação e alegou ser dono do terreno desde 2010 quando comprou a área e formalizou a escritura. Ele garante que não há qualquer irregularidade, inclusive o pagamento do IPTU está em dia. 

“A prefeitura quebrou minha porteira, eu quero que ela [prefeitura] repara o que ela fez. Essa não é uma área de reserva, não é uma área verde. É uma área particular”, afirmou.

Segundo ele, o terreno está cercado e assim que notou a movimentação no terreno entrou em contato com a Secretária de Meio Ambiente para entender o que estava acontecendo. “Eu fui na engenheira Silvia, conversei com ela, entreguei a documentação pra ela. Quem estava fazendo a terraplanagem aqui é o Fernando, eu chamei o Fernando, ele falou que ia paralisar a obra e que não ia mais fazer enquanto a gente não resolvesse”.

O projeto da prefeitura prevê construção de uma unidade médica veterinária para atender gatos e cachorros gratuitamente, com exames laboratoriais, consultas e cirurgias. O local é em frente ao Cemitério Parque Bom Jesus, instalado na  Rodovia Palmiro Paes de Barros.  

Consta na documentação que o local possui 119 hectares e uma área de 2.385 m². “Tá muito estranho. Eu quero um esclarecimento, quero saber como vai ficar, se a prefeitura vai me pagar, se vai me indenizar. Estou entrando hoje com um mandado de segurança”, disse. 

De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano de Cuiabá, Juarez Silveira Samaniego, a documentação apresentada não condiz com o terreno e acredita que o espaço tenha sido vendido com o registro irregular.  “O documento que ele está apresentado é um documento da gleba Bela Vista e não está nessa região. Essa gleba chama-se Minador, ela está na região do Parque Cuiabá. Então, ele pode ser um comprador de boa fé de terceiro que fez uma montagem de documento dessa área”, explicou.

Ainda segundo Juarez, o município vai recorrer à justiça para poder comprovar a posse do município. “Os procedimentos é tranquilo, é judicial para comprovar que a área é do município de Cuiabá”, finalizou.
Após a confusão, o prefeito Emanuel Pinheiro (MBD) utilizou as redes sociais para se manifestar sobre o fato. Segundo ele, casos de reintegração de posse são reincidentes no município, contudo, precisam ser resolvidas. Com isso, o chefe do Executivo Municipal esclarece que as obras ficaram suspensas até que a situação do terreno seja regularizada. “Eu suspendi o lançamento da obra, até que essa situação seja toda ela esclarecida. Aqui em Cuiabá é muito comum essa luta por áreas públicas de todas as regiões da cidade, pessoas aparecerem tempos depois com documentos em mãos como é o caso. Mas pra não cometer nenhuma justiça e nenhum mal-estar desnecessário, 10,15 dias não vai alterar em nada o lançamento desta obra”, esclareceu.

FONTE FOLHAMAX/ FOTO REPRODUÇÃO

Rufando Bombo

Matéria anterior

Motorista de App e comparsas tentam estuprar passageira

Próxima matéria

Em reunião com o Governador DEM oficializa Júlio Campos como pré- candidato ao senado

Faça um comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *